IMG_4115.jpg

A Universidade de Cabo Verde e o Instituto Politécnico de Bragança assinaram uma adenda ao protocolo em 2006, para a instalação de um Centro de Investigação de Montanha – CIMO Cabo Verde - na Universidade de Cabo Verde. O ato foi rubricado pela Reitora da Uni-CV, Judite Medina do Nascimento, e pelo Presidente do Politécnico de Bragança, Orlando Isidoro Afonso Rodrigues, na sexta-feira, dia 23 de novembro, na sala de reuniões da reitoria, no Plateau.

IMG_4129ffff.jpg

 

 

O Presidente do Politécnico de Bragança, que falava antes da assinatura de adenda ao protocolo com a Universidade de Cabo Verde, relembrou o protocolo assinado, que abrangia a mobilidade académica e a investigação e expressou a vontade de cooperar mais com a Universidade de Cabo Verde nos domínios que estão no protocolo e, particularmente, no domínio da investigação científica.

O CIMO Cabo Verde assume-se como um centro de investigação e inovação e dedicar-se-á à investigação relevante na melhoria das cadeias agroalimentares atuando, a montante, no aumento da eficiência da produção agrícola e, a jusante, na obtenção de ingredientes de alto valor acrescentado por prospeção em espécies autóctones de Cabo Verde (ambientes terrestres e marítimos). Numa abordagem multidisciplinar, combinará ciências naturais, do ambiente e da engenharia na promoção do desenvolvimento sustentado baseado em recursos endógenos e na criação de cadeias de valor com ênfase no setor agroalimentar, transformando especificidades da cadeia agroalimentar e da biodiversidade de Cabo Verde em temas científicos com impacto local e internacional.   

 IMG_4129666.jpg

 

O Secretário de Estado para a Ciência Ensino Superior, Portugal, João Teixeira fez questão de sublinhar que o protocolo assinado é uma vontade do Governo de Portugal e de Cabo Verde, que tem o apoio do CIMO de Bragança e desejou que daqui a alguns anos se possa ter em Cabo Verde  uma instituição que caminhou por si própria e que se desenvolveu por si própria, sendo essa a razão do apoio do Politécnico de Bragança na ligação efetiva que une os dois polos e os dois países.

O Centro incluirá duas linhas de investigação principais: “Agricultura Sustentável e Cadeias Agroalimentares Inovadoras” e “Ingredientes de Base Natural”, a serem trabalhadas por investigadores doutorados, estudantes de doutoramento e técnicos de apoio às atividades de campo, laboratoriais e de gestão de ciência e tecnologia. 

 

 

IMG_4108eeeee.jpg

 

 

 A Presidente da Escola de Superior de Ciências Agrárias e Ambientais, Isaurinda Baptista, manifestou o interesse no projeto que realmente é uma oportunidade para se desenvolverem investigações úteis para Cabo Verde e que vai ao encontro da visão para o desenvolvimento do sector agrícola em Cabo Verde.

Uma das linhas de investigação será “Agricultura sustentável e cadeias agroalimentares inovadoras”: focada em práticas para aumentar a eficiência e a resiliência da produção e fornecimento de bens agrícolas em cenários de alterações climáticas e socioeconómicas, com controlo da qualidade, autenticidade e rastreabilidade de produtos alimentares, desenvolvimento de métodos de análise nutricional, química, bioquímica e microbiológica desses produtos, controlo da segurança alimentar, identificação de potencial de negócio agroindustrial e acesso a mercados de produtos diferenciados e inovadores. Nesta linha estariam investigadores em agricultura e ciências naturais e do ambiente, com experiência em áreas específicas, nomeadamente produtos animais (raças autóctones, sistemas de produção sustentáveis, tipificação e segurança), culturas e produtos agrícolas (gestão sustentável, pragas e doenças), solo (conservação e gestão sustentável), eficiência dos recursos agrícolas (água, fertilizantes), serviços de ecossistema (fornecimento e mapeamento), botânica e ecologia de plantas e ecossistemas marinhos (conservação e gestão sustentável).

O Projeto foi considerado entusiasmante porque tem um grande potencial para ajudar a desenvolver investigadores nessas áreas para, a partir de territórios difíceis, do ponto de vista agrícola e dos recursos naturais, se possa dinamizar e extrair grande valor desses território.

A outra linha de investigação será “Ingredientes de base natural”: focada na valorização de recursos naturais endógenos, nomeadamente marinhos, através de processos tecnológicos existentes ou inovadores, da caracterização química e biológica de produtos naturais, química medicinal, e do desenvolvimento de produtos de base natural inovadores para os setores alimentar, em particular dos alimentos funcionais e nutracêuticos, cosmético e farmacêutico (e.g. conservantes, corantes aromas e bioativos naturais ou de base natural, muito procurados nos mercados Europeu e Americano). 

 IMG_4099fvfb.jpg

 

A Reitora da Uni-CV no decorrer da sua intervenção reiterou a sua satisfação e o reconhecimento pelo reconhecimento da Universidade de Cabo Verde: “Já demos o primeiro passo e os próximos passos poderão revolucionar a Escola de Ciências Agrárias e Ambientais que tem sido uma escola que se tem desenvolvido muito lentamente, por várias razões, e este centro poderá dar uma oportunidade de se alavancar a Escola e criarmos um substrato forte e robusto para que venha ser uma Escola de referência a nível nacional”.